Eu li Eu Robô, em praticamente dois dias, o que representa pro meu atual ritmo de leitura, um tempo muito bom.

Quem acompanha o blog há bastante tempo talvez se lembre que eu já havia colocado esse clássico da ficção científica em algumas listinhas de leitura e tbr que decidi fazer por aí, mas sempre acabava deixando-o para depois. Uma pena não ter dado prioridade a essa leitura antes, foi uma experiência, antes de mais nada, muito interessante.

Eu, Robô: A convivência pacífica entre homem e máquina

Resenha do livro Eu Robo Isac Asimov

Isaac Asimov nos coloca em uma realidade em que os robôs existem em harmonia com o ser humano, embora a partir do primeiro conto já saibamos que os mesmos haviam sido banidos da Terra, a sua existência consiste em realizar funções para servir a nossa espécie, sem nunca desobedecer as leis da robótica criadas pelo autor.

Resenha do livro Eu Robo Isac Asimov

Asimov viveu em uma época em que as histórias com robôs sempre acabavam em desastre, com a raça humana ameaçada, escravizada ou até mesmo, extinta pelos seres de inteligência artificial. Para garantir uma abordagem mais positiva do assunto, o cientista/escritor criou o que conhecemos como as 3 leis da robótica, conceito aceito e usado em muitas outras obras de ficção científica que visa controlar e limitar as ações de robôs inteligentes, de modo a garantir, em quaisquer situações, a segurança da raça humana.

Eu, Robô trata-se de uma coletânea de contos do autor, organizados em ordem cronológica coerente com a história (não de acordo com a data de publicação). Eles acabam se interligando, conforme acompanhamos uma entrevista com a Dra. Susan Calvin, psicóloga roboticista da U. S. Robots que trabalha há mais de 50 anos com robótica, sendo ela responsável por nos contar diferentes problemas e situações inusitadas vivenciadas em todos esses anos de experiência.

As Três Leis da Robótica de Isaac Asimov

Resenha do livro Eu Robo Isac Asimov

As Três Leis da Robótica são de extrema importância para os contos de ficção científica de Isaac Asimov. O autor levanta algumas possibilidades interessantes de confusões e paradoxos encarado pelas máquinas diante de experiências inesperadas vivenciadas pelos androides. Para entender melhor a importância das três leis para a coexistência pacífica entre os humanos e as máquinas, vou deixar aqui a explicação:

Resenha do livro Eu Robo Isac Asimov

Primeira Lei: um robô não pode ferir um ser humano ou, por inação, permitir que um ser humano venha a ser ferido.

Segunda Lei: um robô deve obedecer às ordens dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens entrem em conflito com a Primeira Lei.

Terceira Lei: um robô deve proteger sua própria existência desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira ou com a Segunda Lei.

Resenha do livro Eu Robo Isac Asimov

Esses conceitos são amplamente explorados nos contos do livro, e conforme entendemos e nos familiarizamos com essas definições, fica divertido tentar solucionar a situação-problema apresentada, através da  abertura para possíveis interpretações errôneas e falhas na lógica a cerca dessas três leis essenciais.

As estrutura da narrativa do livro colabora para que a sua leitura seja muito rápida e gostosa. Começamos a ler um conto e de repente já se passaram três ou quatro e continuamos engajados com a proposta do livro, curiosos por conhecer mais do acervo de interpretações e histórias que as três leis da robótica dá margem para imaginarmos.

Resenha do livro Eu Robo Isac Asimov

(…) mesmo quando eu era jovem, não conseguia acreditar que, se o conhecimento oferecesse perigo, a solução seria a ignorância. Sempre me pareceu que a solução tinha de ser a sabedoria. Não se deveria deixar de olhar para o perigo; ao contrário, deveria-se aprender a lidar cautelosamente com ele. // A História por trás dos romances de robôs

Resenha do livro Eu Robo Isac Asimov

Vale lembrar que apesar do mesmo nome, o filme Eu, Robô estrelado pelo Will Smith é apenas baseado em um dos contos do Asimov, sendo uma história bastante diferente do que encontramos na obra.

Essa edição da Editora Aleph ainda traz um prefácio inédito escrito pelo autor explicando de onde partiu a inspiração para dar vida a histórias desse gênero, enfim, uma obra que recomendo tanto para quem já é apaixonado pelo tema, quanto para quem quer se aventurar nesse gênero pela primeira vez.

Quem ai leu e amou Eu, Robô também? Um beijo pessoal!

Nota: ☆☆☆☆☆ | Título: Eu, Robô | ISBN: 8576572001 | Ano: 2014 | Especificações: 320 páginas | Editora: Aleph | Comprar: Amazon

RELATED POSTS

LEAVE A COMMENT