Filme: The Adventures of Tintin (As Aventuras de Tintim)

Até o lançamento do filme As aventuras de Tintim em Janeiro deste ano, eu jamais tinha ouvido falar do desenho de Hergé. Muitas pessoas demonstraram reconhecimento e empolgação quando a notícia de que um filme baseado nesse desenho animado seria produzido. Eu realmente não tenho nenhuma lembrança de ter algum dia assistido Tintim acho que fui uma criança muito mais ligada aos desenhos do Sbt, como O Fantástico Mundo de Bob, Ursinhos Carinhosos, Cavalo de Fogo e Dennis, O Pimentinha, do que na programação da cultura. É muito raro ouvir uma pessoa dizer que não gostava de castelo Rá- Tim- Bum, mas sou uma delas. Até hoje não sei o por quê da minha rejeição pelo programa, mas o fato é que nunca gostei de assistí- lo, e acredito que tenha sido justamente esse o motivo que talvez tenha me afastado da Tv cultura, de qualquer forma, é triste pensar que eu tenha deixado de conhecer quando criança, alguns desenhos realmente bons como Tintim

The advertures of Tintin foi produzido através da junção de duas histórias da sua versão clássica, “O Caranguejo das Tenazes de Ouro” e “O Segredo do Licorne”, porém em momento algum a trama nos deixa pensar que a aventura provém de histórias distintas.

O filme é marcado por uma história bem contagiante, investigativa e aventureira, com uma dinâmica inabalável capaz de transportar o expectador para dentro de aventuras realmente emocionantes.

Tintim, para quem não o conhece tão bem, assim como eu, é um repórter de aproximadamente 17 anos, seu fiel companheiro é Milu um Fox terrier super esperto que o acompanha nas suas aventuras em busca dos melhores furos de reportagem.

Parte desse contexto, situam-se personagens importantes para a trama, temos os policiais atrapalhados Dupont e Dupond e o Capitão Haddock que é um dos maiores destaques do filme. O capitão passa a maior parte do tempo bêbado e seus lapsos de memória conseguem arrancar risos fáceis do expectador.

Tudo inicia- se quando Tintim ao passar em um Mercado de pulgas avista uma réplica do Licorne, um navio pertencente a família Haddock. A miniatura logo desperta a cobiça de muitos outros compradores deixando claro que existe algo intrigante acerca da nova aquisição de Tintim. O jornalista porém, só percebe o quão valioso é o navio quando seu apartamento é invadido e o Licorne, roubado.

Procurando recuperar o item, Tintim acaba entrando em apuros e se vê cativo no navio do último descendente dos Haddocks. É ao lado do velho capitão e é claro, de Milu, que Tintim passa por situações de tirar o fôlego embarcando numa aventura perigosa que envolve antigos segredos de família e tesouros perdidos.

Acompanhando uma parte do episódio que deu origem ao filme, percebi que na medida do possível, a adaptação de Spielberg foi fiel a obra de Hergé. O filme conseguiu transmitir a essência dos desenhos antigos, assim como prestou as devidas homenagens ao desenho original, como ocorre nas cenas iniciais em que as fotos dos personagens aparecem em sua forma clássica 2D, expostos na banca de um caricaturista no mercado das pulgas.

Tintim é o resgate de personagens que não necessitam de ter super poderes ou alguma mutação para se tornarem heróis autênticos e carismáticos, além de situar- se no mundo real e abordar temas interessantes. O mais legal é que o filme não decepciona seus fãs e ao mesmo tempo apresenta o personagem aos leigos de maneira tão empolgante que é praticamente irresistível não sair pesquisando tudo a respeito das aventuras desse jovem repórter.

Uma parte importante do filme é o realismo que ele transmite, em muitos momentos podemos perfeitamente esquecer que se trata de uma animação, a qualidade é impressionante.

Jamie Bell, como Tintim

Para a realização do filme foi utilizada a técnica de captação de movimento. Os atores vestidos com uma roupa específica, marcados com pontos que captam suas expressões faciais interpretam a cena, que após ser tratada é renderizada no computador. Jamie Bell , o Billy Elliot no filme de mesmo nome, é quem interpreta o protagonista Tintim, já Andy Serkis que já deu vida a personagens famosos e estranhos como King kong e o Gollum (Senhor dos Anéis) é quem fornece seus movimentos para o capitão Haddock. No documentário da HBO disponível abaixo em 2 partes encontramos entrevistas com os principais atores, além de depoimentos de Steven Spielberg e Peter Jackson, o documentário também mostra o sucesso que as obras de Hergé fazem até hoje na Bélgica, seu país de origem.

Primeira Parte

Segunda Parte

RELATED POSTS

1 Comment

  1. Responder

    Guilherme Awesome Dude

    25 de agosto de 2012

    Gostei do filme, bem agravel, e a tecnologia é de ponta, uma das melhores q ja vi

LEAVE A COMMENT