Eu passei muitos anos da minha vida dizendo que tinha lido e amado todos os livros de Harry Potter. Por muito tempo eu simplesmente ocultei da minha memória o fato de que tinha pulado A Câmara Secreta, era como se eu tivesse mesmo lido. Calma, vou explicar.

A minha história com Harry Potter começou quando eu decidi por mim mesma encomendar o primeiro livro da saga na revista da Avon. Olhar essas revistas equivalia, a nossa ida mensal ao Shopping. Todos os meses eu e minha irmã olhávamos os produtos e podíamos comprar algumas coisinhas não muito caras.

Relendo Harry Potter e a Camara Secreta

Eu ainda estava um pouco longe de começar a me interessar por maquiagens, então qualquer outra opção me chamava mais a atenção que isso. É ai que surgiu a ideia de arriscar comprar Harry Potter e a Pedra Filosofal, a chamada de “Milhões de cópias vendidas em n países do mundo” funcionou perfeitamente comigo e mesmo com medo de gastar a toa o meu “pedido do mês” em algo que poderia não gostar, circulei o livro na revista e escrevi o meu ‘nominho‘ lá (provavelmente foi em nome da minha mãe), mas então… foi isso.

Terminado a leitura de Harry Potter e a Pedra Filosofal eu só sabia falar sobre isso. A minha empolgação era tanta que um primo mais velho, muito próximo, comprou a fita VHS para que eu visse hipnotizada ao filme. Pouco tempo depois Harry Potter e a Câmara Secreta já estava saindo nos cinema e esse mesmo primo levou a mim e a meu pai para assistirmos (a minha primeira ida ao cinema), me presenteando logo em seguida com o terceiro livro da saga.

Prontinho, está explicado porque eu pulei o segundo livro ! Eu não tinha mesada fixa, fazíamos praticamente uma grande compra em Dezembro, pra comprar um tênis novo (já que o atual não iria servir mais) e as roupas que usaríamos no dia a dia da escola no próximo ano. Não saíamos para gastar, fazer compras a esmo, o dinheiro era sempre contado e os passeios, bastante raros.

Havia uma pequena livraria na rua mais popular de comércio da minha cidade e meus olhos brilhavam quando eu parava pra olhar a vitrine com a coleção de livros de Harry Potter lançados até a presente data. Por ter pouquíssima possibilidade de comprar livros, sempre que surgia a possibilidade, dava prioridade para o volume que daria continuidade a história.

Relendo Harry Potter e a Camara Secreta

A minha primeira ida ao cinema

Eu lembro muito claramente da sensação de ir ao cinema pela primeira vez. Eu tenho por mim que se meu primo não tivesse me possibilitado essa experiência, talvez só fosse fazer isso anos depois, quando começasse a trabalhar. Eu acreditava que ir ao cinema, ao shopping e até mesmo ao Mc donalds era coisa de gente rica, e nem sequer cogitava pedir pra minha mãe sabendo que não iríamos ter dinheiro.

Quando eu percebi que uma pessoa normal poderia sim ir ao cinema, que os gastos não eram tão exorbitantes, sempre que um novo filme de Harry Potter ia para as telonas pedia para meu pai nos levar (a mim e a minha irmã mais velha) e essa era (muito provavelmente) a grande experiência do meu ano.

Eu tive uma infância bastante pobre em experiências, o que me faz olhar para aqueles anos com certa tristeza, já que sempre existiu em mim a ânsia por viver além daquela bolha. Hoje, tento refletir sobre esse passado longínquo com um olhar mais compreensivo. Meus pais proporcionaram a mim o que podiam (financeira e psicologicamente falando).

Voltando a minha experiência de ver Harry Potter e a Câmara Secreta no cinema, tive alguns momentinhos marcantes. Lembro de ter pulado da cadeira quando a Mão da Glória prendeu a mão do Harry na loja Borgin e Burkes e ter me compelido a olhar para trás quando ouvi o barulhinho das milhares de aranhas na floresta proibida. Também me recordo claramente de ter achado o som muito alto, e de quase ter tido o reflexo automático de pedir pra alguém baixar haha.

Eu emendei a leitura de O Prisioneiro de Askaban tão organicamente ao filme da Câmara, que simplesmente assimilei que havia lido o livro. Eu acho a adaptação bastante fiel a obra original, então não me senti nem um pouco perdida ou prejudicada em perder os detalhes e nuances que encontramos no livro.

Relendo Harry Potter e a Camara Secreta

Sobre reler Harry Potter e a Câmara Secreta

Fiz a minha releitura na minha edição antiga. Acredito que ela seja uma das versões mais simples do livro, já que não tem orelha e o título é completamente fosco. Ela é diferente das demais que possuo pois foi comprada muitos anos depois, em uma tiragem mais simples.

A compra desse livro também foi, de certa forma, marcante. Decidi comprá-lo com um dos meus primeiros salários do meu primeiro emprego como Atendente de Telemarketing.

Hoje é legal pensar que decidi investir o meu dinheirinho (conquistado as custas de tantos xingamentos e frustrações), em algo que era importante para mim. Mas, confesso que não tive disposição para ler naquela época (um reflexo do meu psicológico já sendo abalado pela função), o que fez com que eu deixasse o meu exemplar de Harry Potter e a Câmara Secreta guardado por muitos anos e até mesmo, meio esquecido.

Relendo Harry Potter e a Camara Secreta

Agora falando brevemente sobre a minha releitura (me permitindo Spoilers), me senti bastante empática com a situação desfavorável do Harry. Os acontecimentos que constroem a trama vão sendo sucedidos por outros mais e mais desfavoráveis as condições do nosso protagonista e de seus poucos amigos.

Tudo parece ir por água abaixo e vai piorando de um jeito meio desesperador até culminar no afastamento do diretor de Hogwarts e da condução de Hagrid a Azkaban (hoje eu vejo o quanto esse fato era muito mais chocante do que pensei na época do filme já que não fazia ideia de como funcionava a prisão dos bruxos).

Harry também sofre com a hostilidade e até medo dos colegas, e mesmo com essa situação horrível e completamente injusta, Hogwarts é o único lar que ele conhece e a perspectiva do possível fechamento da escola por conta dos ataques não resolvidos aos alunos, é algo bastante opressor.

Dá um verdadeiro alívio quando tudo se esclarece e as coisas voltam aparentemente ao seu eixo.

Confesso que dentre o meu ranking de livros A Câmara Secreta fica por último, mas até aqui você já sabe que a minha ligação com essa história se remete muito mais ao filme, o que torna a história, de um jeito ou de outro, bastante especial.

Escrevo esse post já tendo iniciado e avançado bem na leitura de Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban. A minha ideia é contar as minhas percepções de todos os 7 livros aqui no blog. Vou deixar abaixo a listinha de links dos posts dessa série, caso queira acessar :)

Relendo Harry Potter e a Pedra Filosofal

Relendo Harry Potter e a Câmara Secreta (você está aqui)

Relendo Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (coming soon)

Relendo Harry Potter e a O Cálice de Fogo (coming soon)

Relendo Harry Potter e a Ordem da Fênix (coming soon)

Relendo Harry Potter e o Enigma do Príncipe (coming soon)

Relendo Harry Potter e as Relíquias da Morte (coming soon)

28 de fevereiro de 2020

RELATED POSTS

8 Comments

  1. Responder

    Danielle S.

    26 de fevereiro de 2020

    Apesar de te acompanhar há um tempão, é interessante perceber que ainda tem muita partes de Dai para conhecer. Por exemplo, eu não sabia que você havia trabalhado como atendente de telemarketing e só consigo imaginar como estava o seu psicológico nessa época. Deve ser um trabalho completamente estressante!
    Achei muito bonita a sua história e conexão com Câmara Secreta e mais ainda ver como Harry Potter foi importante na sua infância. Muito legal ver um pouquinho da suas impressões da primeira vez no cinema! Acho que os dois primeiros filmes são os mais fiéis aos livros, talvez por serem menores e os produtores ainda estarem entendendo como essas adaptações funcionariam… Acho que Câmara Secreta também está lá atrás no meu ranking, mas preciso reler os livros (e fazer minha maratona anual dos filmes) para dizer com toda a certeza. ;)

    Beijos ♥

    • Responder

      Dai Castro

      28 de fevereiro de 2020

      Eu fico muito grata e feliz de ter você sempre por aqui Dani ♥
      As vezes eu sinto isso, de que apesar de estar a tanto tempo escrevendo por aqui, uma parte de mim ainda é totalmente oculta desse mundo digital (um pouco por medo de me expor demais e um outro tanto por ser dolorido desenterrar certas coisas), mas esse post em si, foi muito especial de escrever, sabe?
      Que maravilha saber que você irá reler <3 É muito amor refazer essa jornada !! Beijos

  2. Responder

    Lary Zorzenone

    25 de abril de 2020

    Olá
    Eu tive experiências muito únicas com os livros de Harry Potter. Eu sou uma fã louca da série, mas não tenho os exemplares físicos (loucura, eu sei). É que eu já li eles tantas vezes, sempre com os exemplares da minha tia, pessoa que me apresentou pro mundo do Harry, que eu sentia como se já os tivesse e sempre acabava comprando outros títulos. Não tenho nenhuma memória muito específica de Câmara Secreta, mas todos são especiais pra mim.

    Vidas em Preto e Branco

    • Responder

      Dai Castro

      2 de junho de 2020

      Ahhh o mais importante é ter essa história junto da gente, não importa se temos livros físicos e outros itens da série, ou não!
      Acho que isso vale pra toda história que nos marca, seja em forma de leitura, filme, desenho… o importante é juntarmos inspiração <3
      Um beijo

  3. Responder

    Juvenal Arruda

    18 de julho de 2020

    Dai, não sei se você se recorda de mim, mas há um tempo – não muito distante – você fez uma resenha linda do meu livro de poemas Escutei dentro de mim. Sou eternamente grato. Porém, se tratando do seu post, quero destacar o quanto lhe admiro ainda mais por expor suas experiências. Eu também tive uma infância pobre (financeiramente), mas acredito que rica quando se trata de imaginação e inventividade. Você com certeza deve ter tido momentos que sua mente fluiu para outros lugares, ou/e conheceu pessoas que despertaram sua melhor parte. Falo isso, visto o que tenho apurado percebendo a beleza de seu blog, cada detalhe pensado, as fotos caprichadas e com uma estética linda. Isso só pode vir de uma mulher que foi uma menina sonhadora. Pensemos como o Harry agora. Ele também teve uma infância limitada com seus tios, mas a magia nunca o abandonara no armário sob a escada. A magia sempre esteve conosco e agora estamos expandindo-a para o mundo. Parabéns por tudo. Ah, estou lendo Harry Potter e as relíquias da morte!

    • Responder

      Dai Castro

      21 de outubro de 2020

      Oi Juvenal! Claro lembro sim de você e do seu trabalho <3
      Muito obrigada pelo comentário, realmente me deixou feliz ver você por aqui!
      É muito bonito podermos retirar da ficção inspiração pra nossa vida, né?
      É um amor reler os livros que amamos!
      Um beijo

  4. Responder

    Luma

    31 de agosto de 2020

    oie! Eu tive a primeira experiência com os livros de Harry Potter esse ano e devido a todos os acontecimentos foi uma grande válvula de escape para tudo. Crie um carinho muito grande por toda a história e pretendo muito reler sempre que me sentir desmotivada e desacreditada. Estou adorando suas publicações e gostaria de saber quantas vezes vc já releu?? E se não essa magia e encanto se perdi com o passas das vezes? É uma dúvida que realmente tenho.

    • Responder

      Dai Castro

      21 de outubro de 2020

      Oi Luma <3 Desculpe a demora em responder fiquei um tempo afastada do blog!
      Eu já reli tantas vezes que eu nem sei. Quando criança / adolescente eram praticamente os únicos livros que eu tinha então, sempre que podia eu estava relendo.
      Hoje gosto de ir notando os detalhes que as vezes passa despercebido e também ir acompanhando com outros livros (os de criaturas, feitiços, etc) conforme eu leio. É sempre uma experiência muito bacana <3

LEAVE A COMMENT