Livro: A Metamorfose – Franz Kafka

destacada07

A Metamorfose - capa

Apesar de ser considerada uma das obras mais lidas e comentadas do século XX, “A Metamorfose” era um livro totalmente desconhecido por mim.

Publicado pela primeira vez em 1915, Franz Kafka surpreende com uma história que ao longo de todos esses anos teve muitas interpretações diferentes que vão desde a referência ao relacionamento que este possuía com seu pai até a crítica a sociedade burguesa da época.

A história logo trata de inserir o leitor ao contexto da nova situação em que o caixeiro-viajante Gregor Samsa se encontra: Ao acordar de um sonho inquieto o rapaz percebe que está transformado em um horroroso inseto. Tendo que aprender a lidar com suas costas duras e inúmeras perninhas, em um primeiro momento sua maior preocupação é relacionada a questões fisiológicas que o seu novo e enorme corpo o obriga a ter, mas logo percebe que essa transformação inesperada será capaz de trazer a toda sua família consequências muito mais graves.

Desde que se viu obrigado a trabalhar na desgastante profissão de caixeiro viajante para bancar todas as despesas da casa e quitar a dívida da família, o rapaz abdica de suas próprias vontades para oferecer aos pais e a irmã uma vida confortável e tranquila. Esse é com certeza um dos principais aspectos alterados na rotina da família Samsa e uma das primeiras preocupações que seus membros se deparam é a questão de manter o padrão de vida quando o único membro capacitado para trabalhar se encontra na condição inesperada de um inseto.

Preservando seu raciocínio humano e compreendendo toda a situação a sua volta, Gregor, porém, passa a ser tratado como um repugnante monstro que aos olhos dos outros, não possui mais personalidade ou entendimento.

Kafka consegue transmitir toda história com um realismo impecável, sendo seu foco relatar as mudanças comportamentais que ocorrem diante da situação inusitada. A família que antes, ainda portando algum resquício de esperança tratava Gregor com certa tolerância à medida que o tempo passa, começa a vê-lo apenas como um empecilho, atribuindo-lhe culpa pela atual condição em que se encontram. Isso deixa claro a tendência do ser-humano a valorizar os seus semelhantes somente enquanto esses ainda podem colaborar com alguma coisa, diferente disso, acabam se tornado descartáveis aos olhos da sociedade e do próprio contexto familiar

Mesmo após passado tantos anos de sua primeira publicação, “A Metamorfose” continua sendo uma obra bem original. É um livro pequeno de leitura fácil e conteúdo bem interessante que nos transporta para uma situação absurda, mas que pelas palavras de Kafka passa a ser completamente aceitável. Recomendo! ;)

Leia Também

2 Comment

  1. AIla says: Responder

    Quem nunca acordou se sentindo uma barata? rs
    O Júlio detestou esse livro!!! ahuahauhau

    1. Eu achei ele bizarro!!! Mas me agradou ;)

Deixe uma resposta