box-troll-ColorindoNuvens

Eu sempre tive curiosidade de saber como as coisas aconteciam por trás das câmeras. Lembro que acompanhava na antiga MTV Brasil, alguns programas de Making of que mostrava os bastidores de algumas produções como filmes e clipes.

Hoje venho mostrar para vocês algumas curiosidades e informações sobre a produção que irá estrear em 02 de Outubro nos cinemas brasileiros: The Boxtroll. A animação é de autoria dos estúdios Laika que já produziu Coraline em 2009 e mais recentemente, ParaNorman em 2012.

A nova produção traz como inspiração Monty Python, o ballet Russo e também um livro infantil de Alan Snow “Here be Monster!”.

Boxtroll backstage

Na história iremos acompanhar a jornada do garoto Egg e de diversos monstrinhos que vestem-se com caixas de papelão e vivem no subterrâneo da cidade de Cheesebridge.

A produção será realizada em Stop Motion, mas contará também com CG para dar mais amplitude aos cenários e não deixar a impressão de que o espectador está encurralado dentro de um set de filmagem limitado.

Pelas fotos conseguimos perceber todo o trabalho desempenhado para a realização das cenas. A riqueza de detalhes e a delicadeza de todos os elementos realmente impressionam. Neste post aqui vocês podem visualizar melhor os detalhes.

Boxtroll backstage

O design dos cenários é bem interessante. A equipe de criação parece ter gostado dos traços trêmulos do artista Michel Breton e resolveu incorporar essa característica aos elementos em cena. Se olharmos bem tudo parece oscilar, nada é realmente reto.

Já para o figurino e definição da identidade visual, houve a inspiração de diversas pinturas do século XIV e XX, o objetivo era deixar a produção com o design de um filme de época inusitado. Além disso, uniformes militares, o figurino do movimento Punk Rock inglês e até mesmo o ballet russo influenciaram na criação do visual tanto dos monstrinhos como dos moradores de Cheesebridge.

Boxtroll backstage

O próprio nome da cidade fictícia nos sugere que os queijos terão uma importante participação na história. Cheesebridge vem de Cheese (queijo, em inglês) e é justamente essa a obsessão dos aristocratas “apreciar os mais finos e fedorentos queijos”. Para isso foram criados mais de 55 esculturas diferentes de queijos que serão utilizados nas cenas!

Realizar uma produção desse porte envolve muitos profissionais, acho muito legal conhecer o backstage das produções para termos um pouquinho da dimensão do trabalho realizado, isso também nos ajuda a prestar mais atenção a outros detalhes quando formos conferir o resultado final! ;)

2 de outubro de 2014

RELATED POSTS

LEAVE A COMMENT