Livro – O Papel de Parede Amarelo de Charlotte Perkins Gilman

papel parede amarelo - colorindo nuvens

papel parede amarelo - colorindo nuvens

Quando esse livro chegou aqui em casa não fazia ideia do que ele se tratava, mas não demorei a perceber a sua importância no cenário atual ao ler o prefácio inédito da filósofa Marcia Tiburi.

O Papel de Parede Amarelo lançado pela editora José Olympio é um clássico da literatura feminista, mas por anos foi considerado apenas um conto de terror gótico ao estilo das obras de Edgard Alan Poe. Na década de 70, no entanto, foi descoberto por uma nova geração de feministas que reconheceram a importância da obra para o movimento.

O livro é contado através do diário da protagonista que vê na escrita, o seu único refúgio e tentativa de manter a sua própria identidade.

papel parede amarelo - colorindo nuvens

papel parede amarelo - colorindo nuvens

Diagnosticada com depressão nervosa pelo marido médico é levada para uma casa de campo, onde, por recomendação, precisa ficar isolada. Orientada a não fazer nenhum tipo de esforço seja ele físico ou intelectual, todas as vezes que escreve é as escondidas e é através dos seus relatos que percebemos a fragilidade de seu estado e como o isolamento foi fator decisivo para a sua drástica piora.

É nesse cenário que um padrão diferente e irregular no papel de parede amarelo do quarto chama a sua atenção e a partir desse momento, fica obcecada por decifrá-lo.

Todas as passagens são repletas de significados sutis que remetem a uma época em que as mulheres eram completamente passivas ao seu marido e senhor. Impedida de fazer o que gostaria como conviver com outras pessoas ou realizar algum tipo de trabalho, a protagonista é tratada como uma propriedade e John, seu marido, toma todas as decisões por ela, sem dar-lhes chances de argumentar.

papel parede amarelo - colorindo nuvens

A história é um verdadeiro retrato sobre a situação das mulheres do século XIX, escravizadas em seu próprio lar, tendo suas casas como verdadeiras prisões.

O mais interessante é que a obra tem caráter autobiográfico. Quando escreveu o conto do Papel de Parede Amarelo, Charlotte Perkins Gilman baseou-se em suas próprias experiências, no período em que passou por doença e tratamento semelhante durante o seu primeiro casamento e foi, até mesmo, impedida de continuar escrevendo.

O conto é bem pequeno, conseguimos ler de uma só vez, porém a atmosfera da história é bem densa, principalmente se prestarmos atenção a mensagem que o livro deseja transmitir.

O prefácio e o posfácio são bem interessantes e nos ajudam a enxergar todo o significado da obra e o que a tornou um verdadeiro símbolo do feminismo.

Vocês já conheciam esse conto? O que acharam? Beijos!

Facebook ♡ Twitter ♡ Instagram ♡ Bloglovin

[Esse livro foi enviado pelo Grupo Editorial Record]

29 de março de 2016

RELATED POSTS

16 Comments

  1. Responder

    Wallace Freitas

    28 de março de 2016

    Não conhecia este, fiquei bastante interessado, é uma história que eu gostaria muito de ler, a mensagem que passa só me faz querer isso ainda mais ! Ótimo post :D Ah, antes que eu me esqueça, indiquei teu blog a uma Tag literária, já o acompanho faz algum tempo e achei que gostaria dessa, abraços !

    • Responder

      Dai Castro

      29 de março de 2016

      Fico feliz que tenha se interessado pelo livro Wallace! Achei essa tag perfeita, obrigada por me indicar <33

  2. Responder

    Clay

    28 de março de 2016

    Nunca sei o que comentar sobre livros feminista, digo isso porque ainda não tive contato com um que seja importante para o movimento. E esse me interessou, por causa da época e pelo valor biográfico. Conhecer experiências e ponto de vistas. Fiquei com vontade de ler!!!

    • Responder

      Dai Castro

      29 de março de 2016

      Eu achei bem interessante Clay, principalmente por conta do prefácio e posfácio que são bem explicativos e nos ajuda a contextualizar a obra e conhecer mais sobre a autora ;)

  3. Responder

    Lu Cruz

    28 de março de 2016

    Não conhecia, e realmente não imaginaria a importância da obra se não fossem essas explicações. Espero conseguir encontrar a obra na biblioteca aqui da cidade. Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

    • Responder

      Dai Castro

      29 de março de 2016

      Tomara que você encontre Lu, é bem interessante :) Beijos!

  4. Responder

    Beatriz Cavalcante

    28 de março de 2016

    Eu também recebi esse livro e estou animada para ler ele. Não faz muito meu estilo mas acho que vou conseguir entender bem. As vezes tenho medo de livros clássicos por achar difícil mas parecer ser bem tranquilo de acompanhar, né? Gostei bastante da sua resenha e vou tentar começar ele hoje mesmo. :D

    Beijos!

    • Responder

      Dai Castro

      29 de março de 2016

      É rapidinho a leitura Bia, e não achei a escrita muito difícil, não! É bem tranquilo de se ler :) Beijos!!

  5. Responder

    Mari

    29 de março de 2016

    Esse é um livro pelo qual eu não me interessaria se não fosse pelas resenhas que tenho lido sobre ele, porque agora entendi a importância da leitura. Vou procurar ler sim!
    Beijos
    Mari

    • Responder

      Dai Castro

      29 de março de 2016

      É um livro bem desconhecido, né? Mas a abordagem é bem interessante :) Beijos!

  6. Responder

    Paloma

    29 de março de 2016

    Oi Dai!
    Não conhecia esse conto, mas pela sua resenha já gostei muito.
    Apesar de denso, acho que esse tipo de leitura necessária!

    Já adicionei na wishlist <3

    um beeeijo

    • Responder

      Dai Castro

      29 de março de 2016

      Também acho muito necessário Paloma, principalmente para se conscientizar :) Beijo!!

  7. Responder

    Plataforma Viajante

    1 de abril de 2016

    Já pela descrição do livro, adorei e me instigou a querer lê-lo! Com certeza, já estará na minha listinha de livros… :)

    • Responder

      Dai Castro

      2 de abril de 2016

      Fico feliz que tenha se interessado :)

  8. Responder

    Aline Suave

    4 de abril de 2016

    Estou doida para ler esse livro! Vi tanta gente lendo e indicando mês passado, parece uma leitura muito boa.

    • Responder

      Dai Castro

      5 de abril de 2016

      É bem interessante e rápido de ler :)

LEAVE A COMMENT