Embalado pela onda de Left 4 Dead e todas as emoções envolvendo o tema Zumbis que um jogo como esse pode proporcionar, recebi com grande interesse a proposta (do namorado) de assistir Extermínio. ;)

Logo nas primeiras cenas, fica claro que não se trata de mais uma obra Hollywoodiana, estamos lidando novamente com o cinema Inglês, uma obra realizada em 2002 com direção de Danny Boyle.

A proposta não era inédita, os atores não eram conhecidos e faltava dinheiro pra investir na produção, porém o que se vê na tela não decepciona nem um pouco.

A história central é simples, um grupo de ativistas ambientais, invadem um laboratório em que macacos serviam como cobaias para as experiências realizadas no local. Os invasores ao presenciar situações até mesmo de tortura dos animais cativos, ignoram o aviso de que os animais estariam infectados com um poderoso vírus e decidem liberta- los mesmo assim. A equipe é atacada pelos chimpanzés e é dessa forma que surgem os primeiros seres humanos infectados por um vírus modificado da raiva. Os infectados perdem rapidamente o controle de suas faculdades mentais tornando-se seres ensandecidos, atacando qualquer pessoa que esteja a sua frente. Esses não são Zumbis que andam se arrastando ou atacam não- infectados para se alimentarem de seus cérebros ou algo do tipo, esses são acometidos por um acesso de fúria descontrolada algo que faz com que se movam igual ou mais rápido do que pessoas normais.

Sendo assim 28 dias depois do início da contaminação, acordando do coma completamente nú em um hospital em Londres, Jim (Cillian Murphy) depara-se com cenas de completo abandono. A medida que vai passando por diversos pontos conhecidos de Londres o rapaz não encontra nada além de um cenário desolador.

A ambientação e a fotografia dessas cenas iniciais são muito boas, transmitindo a sensação de vazio ao caminhar pelas ruas sem ninguém encontrar.

Não surpreende que ao longo do filme Jim venha a encontrar outros sobreviventes, e a tal “equipe” formada venha a desenvolver relações emocionais uns com os outros, é assim que o grupo decide ir ao encontro de uma possível cura e promessa de segurança transmitido por um anuncio no rádio, encarando os perigos da viagem, em busca do seu único fio de esperança.

Mais do que terror, o filme aborda muitas questões psicológicas, coloca o ser- humano numa situação de completo caos em meio a uma sociedade sem regras nos mostrando que as relações humanas podem se tornar tão doentias como as que ocorrem com qualquer infectados em um filme aleatório de zumbis.

31 de julho de 2012

RELATED POSTS

LEAVE A COMMENT