Mulher Maravilha e a Importância da Representatividade Feminina + Curiosidades sobre a Personagem

Mulher Maravilha Representatividade feminina

O principal programa do meu final de semana foi ir ao cinema conferir Mulher Maravilha, a super heroína do universo da DC interpretada pela israelense Gal Gadot.

O filme focou bastante na origem dessa personagem. Grande parte do longa é dedicado a nos apresentar parte da infância e processo de treinamento da Amazona Diana de Themyscira e o que a leva a deixar a ilha e tentar deter uma guerra humana capaz de destruir a vida de muitos inocentes.

Foi conversando com o meu namorado sobre o filme que eu tive a ideia de pesquisar mais sobre essa personagem e sobre o seu papel nas causas feministas. Na minha pesquisa pude ler bastante artigos interessantes sobre o tema, além de descobrir algumas curiosidades bem legais que decidi compartilhar com vocês.

A Importância de uma representante feminina no universo de super heróis

Primeira capa mulher maravilha

Na minha infância eu considerava assuntos de “super heróis” coisa 100% de menino e assim ignorava praticamente tudo a esse respeito, na verdade, mal conhecia suas trajetórias ou super poderes, era algo muito longe do meu universo, então não me interessava e seguia feliz brincando de dona de casa com meus três filhos para criar.

Não me lembro de me espelhar em nenhum personagem específico. Gostava de filmes de princesa mas sempre me considerei pobre, simples e feia demais para sequer me imaginar ser uma. As brincadeiras mais frequentes na minha infância eram: brincar de casinha (com bonecas, barbies, ursinhos de pelúcia, miniaturas e o que mais fosse possível) e brincar de professora imaginando alunos ou usando meus brinquedos para representá-los. Mas nunca, em nenhum nível, eu me arriscava a interpretar o papel de uma mulher empoderada, mesmo que na época não fizesse ideia do que isso representasse.

Estou contando essa história por um único motivo: eu não fui uma criança segura de mim e logo, isso se estendeu a minha adolescência e também a minha vida adulta. Eu não tive muitos ícones da vida real ou da cultura pop para me inspirar ou espelhar. Talvez, se tivesse tido um estímulo melhor na infância, poderia crescer com um pouco mais de autoestima e poder de decisão. E é por isso, que acho que a presença de uma super-heroína entre esse time de heróis que dominam a indústria cinematográfica atualmente é extremamente importante para inspirar a trajetória de muitas meninas pelo mundo afora.

Uma figura tão forte e presente em diferentes mídias como os super heróis são capazes de transmitir um conjunto de valores que irão influenciar nas atitudes e nos objetivos que almejamos.

sophia: garota com cancêr se inspira na Mulher Maravilha

O meu último dia de quimioterapia. Foi difícil, mas eu fui mais forte.

Hoje passeando pelas minhas redes sociais vi essa foto dessa pequenina guerreira Sophia Sandoval. É desse tipo de influência que estou falando, é desse tipo de inspiração que as meninas também merecem receber e o quanto é importante a gente se enxergar como mulheres fortes para superar tantos obstáculos que temos que enfrentar ao longo da vida.

Algumas curiosidades sobre a Mulher Maravilha

Mulher Maravilha Representatividade feminina

Um psicólogo (defensor da igualdade de gênero) foi contratado para auxiliar na concepção de uma Super Heroína. Esse trecho do livro do pesquisador Tim Hanley (Wonder Woman Unbound: The Curious History of the World’s Most Famous Heroine) de 2014 exemplifica bem a importância do surgimento da personagem em um universo de super heróis: 

Mulheres ativas ou ambiciosas não eram apenas raras [nos quadrinhos], mas também frequentemente más. Mulher-Maravilha transformou esse paradigma ao incorporar a força, a assertividade e a independência geralmente associados à garotas más e vilãs, em um sentido positivo e heroico. (Tim Hanley)

Em 2016 a Mulher Maravilha foi nomeada pela ONU Embaixadora Honorária para o Empoderamento das Mulheres e Meninas, mas esse título não durou muito, dois meses após a nomeação uma petição com mais de 45 mil assinaturas, a fez perder esse posto por ser considerada “muito sexualizada” ou com “tendência à violência”.

A atriz que dá vida a personagem nos cinemas Gal Gadot, estava grávida de cinco meses quando foi solicitada para refilmar algumas cenas do longa. O interessante é que para esconder a gravidez já aparente foi utilizado um traje especial que possuía chroma key ao redor da barriga. Pra mim ficou bem convincente, porque não percebi nada de diferente, e vocês? :)

Por hoje é só pessoal! Espero que tenham gostado! Fica a vontade para compartilhar a sua opinião sobre o assunto nos comentários! Beijos!

Leia Também

16 Comment

  1. eita que post mais lindo <3

    1. Dai Castro says: Responder

      Obrigada Cin <3

  2. Hey!
    Adorei o post!
    Eu ainda não li nada da Mulher-Maravilha, conheço apenas pelo desenho Liga da Justiça… Quero muito ver o filme e conhecer mais pelos quadrinhos… ☺ Adorei o post, aliás!

    Beijo

    1. Dai Castro says: Responder

      É sempre bom conhecer mais sobre a importância dessa super heroína, né? Que bom que gostou Midian! <3

  3. Estou doida para assistir esse filme principalmente por ele ter provocado e incentivado a representatividade feminina! Amei seu post. ❤

    http://www.kailagarcia.com

    1. Dai Castro says: Responder

      É demais Kaila! Espero que goste!

  4. Oi Dai

    Eu quero assistir Mulher Maravilha amanhã.Estou planejando aqui .
    Eu nasci assistindo Power Rangers e X -Man ,mas acho que assistia apenas porque estava esperando algum outro desenho passar porque tenho vagas lembranças.
    Também era uma menina de brincar de casinha , escolinha ou perdida nos universos paralelos que eu mesma criei ,então nunca liguei para esse universo de herois.
    Eu me dei conta de como a Mulher Maravilha é um simbolo após ler “O ano que eu disse sim” da Shonda Rivers .
    Ela foi uma personagem além do seu tempo desmonstrando a força que a mulher pode ter.E que merecemos ser respeitada.

    Beijos

    Meu mundinho quase perfeito

    1. Dai Castro says: Responder

      Acho muito legal ter essa referência para as meninas de agora! É muito importante, né? Todo mundo fala muito bem desse livro “O ano que eu disse sim”, preciso conferi!
      Beijos!

  5. Eu NUNCA ia imaginar que ela filmou algumas coisas grávida… Quero rever o filme pra observar isso, hahaha!
    Achei tão interessante tudo isso que você falou de nunca ter se espelhado em uma personagem… Porque realmente se a gente for pensar as influências femininas que tivemos na infância eram MUITO intangíveis, ninguém nos estimulava a ser forte ou interessante! Vejo muitas garotas que têm a Mulher Maravilha como um exemplo de anos e não me sinto assim porque só fui começar a gostar de super heróis no início da adolescência quando ela não aparecia direito em nenhuma mídia (ao mesmo tempo que Batman e Super Homem brilhavam no cinema e na tv). Que lindo ver isso mudando assim, a gente pode ter essa inspiração agora e as novas gerações também!

    1. Dai Castro says: Responder

      Eu também não percebi nadinha Luly!
      Verdade, eram realmente muito distante da nossa realidade, quase sempre perfeitas, doces e lindas! hahaha
      É bem legal ver que esse cenário está mudando, né?

  6. Oi Day, tava vendo aqui (só agora haha) que você também é parceira da Darkside e participo de um grupo de parceiros dela (tem só 3 pessoas kkkkkkk) mas se você quiser participar me manda msg no twitter ou por outro lugar (se souber de mais gente também)

    Assisti o filme da Mulher Maravilha semana passada e AMEI!
    Eu também não encontrava quase nenhuma representatividade enquanto criança ou adolescente
    Acho muito importante para as mulheres de todas as idades terem esse tipo de representatividade, faz um bem danado.
    Eu sabia que ela estava grávida em algumas cenas, mas também não consegui perceber haha
    Beijos!

    1. Dai Castro says: Responder

      Oba! Quero participar sim! Vou te responder lá no Twitter!!
      É um filme muito bom mesmo, pra entreter e por conta dessa questão da representatividade, né?
      Beijos!

  7. Oi Dai! Super importante as meninas de hoje terem essa referência, quando eu era criança parecia que tudo estava perdido mas aí surgiram as Spice Girls com o Girl Power e isso revolucionou a minha Vida! Fico feliz ver que as coisas estão mudando e tooodas as curiosidades que vc escreveu eu aprendi awui e agora, obrigada Dai! Beijinhos

    1. Dai Castro says: Responder

      Siim muito bom ver as coisas mudando!!
      Que bom que gostou <3

  8. Eu amo esta personagem e concordo com você, é muito importante uma referência feminina que passe força e confiança as meninas. Não sabia da gravidez da Gal, que legal.
    Charme-se

    1. Dai Castro says: Responder

      Muito importante mesmo Simone <3

Deixe uma resposta